Nordeste, Viagens Nacionais

Jericoacoara: o paraíso é aqui!

6 de abril de 2015
IMG_1398

Jericoacoara foi o destino do blog no último feriadão prolongado e confesso que todas as expectativas que tinha em relação ao local foram satisfeitas, na realidade, foram até superadas, pois o local é de uma beleza exuberante e de uma paz e tranquilidade inigualável. A Vila de Jeri está inserida em uma área de proteção ambiental, em um pedacinho de paraíso que só está ali de forma deslumbrante devido ao respeito à natureza que se mantém mesmo com o avanço do homem sobre ela. Em vista disso, é obrigação de cada turista que a visita respeitar e cuidar dessa criação divina de beleza indescritível.

Fiquei em Jeri, como carinhosamente é chamada pelos locais e pelos turistas que, inevitavelmente, se apaixonam pelo lugar, com alguns amigos pelo período de uma semana, oportunidade em que pude aproveitar com calma todas as atrações locais, conhecer bem a cidade, a sua história e os seus moradores, que tem um orgulho lindo do lugar paradisíaco onde residem e, é claro, buscam contribuir para sua preservação. Assim, compartilharei como vocês em alguns posts a partir das experiências que tive todas essas informações sobre esse paraíso chamado Jericoacoara.

Como chegar

Jericoacoara está localizada na costa oeste do Ceará e situa-se aproximadamente a 313 km de Fortaleza. A ida para Jeri normalmente é realizada por transfers de carro 4×4 ou buggy, uma vez que para ter acesso à Vila é necessário percorrer um caminho de mais ou menos 30 km por entre as dunas que separam a cidade de Jijoca de Jericoacoara. Desse modo, não é recomendável ir para a Vila utilizando-se de carros pequenos, tampouco alugar carros para fazer a viagem sozinho, tendo em vista as peculiaridades dos caminhos que levam à Jeri, sendo o mais sensato contratar um transfer para fazer esse traslado de buggy ou 4×4 (acredite, de fato é a melhor opção, pois tive a oportunidade de ver de perto algumas tentativas mal sucedidas de turistas desavisados que quase tiveram o carro levado pela maré devido ao atolamento na areia ou tiveram outros tipos de problemas com o carro durante a viagem).
Eu e meus amigos fizemos o percurso até Jeri de carro 4×4 (Amarok na ida, Hillux na volta), e o hotel em que ficamos hospedados que reservou esse traslado (R$ 550,00 pago em dinheiro diretamente ao motorista – leva no máximo 04 pessoas), mas também pode ser agendado diretamente com algumas das agências especializadas nesses serviços que podem ser pesquisadas no Portal de Jeri(http://www.portaljericoacoara.com.br/como_chegar_em_jericoacoara.htm). Admito que a viagem é um pouco demorada (cerca de 4 horas e meia), principalmente quando se está muito ansioso para chegar e desbravar o lugar, e boa parte do caminho é de um sacolejo desconfortável (especialmente no caminho de Jijoca – Município próximo- até Jeri), mas uma vez que se chega à Vila de Jericoacoara tudo isso é imediatamente esquecido, visto que Jeri é simplesmente maravilhosa e compensa todo o esforço para se chegar até lá.

Ainda, esse traslado para Jeri pode ser feito pelas praias de buggy (praticamente o dobro do preço do traslado normal), ao invés de realizar a viagem apenas pelo asfalto. Como chegamos à Fortaleza em um vôo de madrugada e fomos direto para Jericocoara, decidimos fazer esse trajeto pelas praias na viagem de volta, já que gostaríamos de ter essa experiência. Agendamos tudo direitinho, porém, infelizmente, não contávamos com a chuva que assolou Jeri no dia do nosso retorno. Em razão disso, não tivemos outra opção a não ser voltar de carro fechado via asfalto. De qualquer forma, dizem que o trajeto pelas praias é incrível e vale muito à pena, e se você tiver a oportunidade de fazer quando estiver lá, faça!

É possível ir para Jeri de ônibus também, pois há ônibus que saem de Fortaleza diariamente da empresa Fretcar. Mais informações sobre horários de partida e saída aqui: http://fretcar.com.br/. Há também a opção de ir de helicóptero, contudo, apesar de ser uma alternativa mais confortável, não cabe no bolso de todos, motivo pelo qual é uma opção mesmo para quem pode pagar e está disposto a arcar com esse custo.

Atrações de Jeri

A Vila de Jericocoara é simplesmente uma formosura, cheia de charme com as suas ruas todas de areia, o que nos dá a sensação de ter sido transportado para um lugar raro, intocado. E de fato, Jeri é uma raridade, de beleza e paz indescritível. A Vila é bem pequena, e possui três ruas principais que levam à praia e são as mais movimentadas, sempre cheias de turistas, principalmente estrangeiros, sendo que muitos deles de tanto que se encantam acabam se instalando por lá (inclusive boa parte dos estabelecimentos são de propriedade de estrangeiros, em sua maioria italianos e franceses, mas também tem colombianos, argentinos…). Jeri é repleta de lojas, restaurantes, sorveterias, escolas de kitesurf e windsurf, hotéis. Inclusive, uma das coisas que me surpreenderam positivamente em Jeri é que apesar de ser pequena tem uma infra-estrutura bacana, e não fica devendo nada a destinos mais badalados como Porto Seguro, Porto de Galinhas, entre outros, pois tem capacidade para receber bem seus visitantes.

A Vila não tem iluminação pública, sendo que, quando a eletricidade chegou ao local no início dos anos 90, a exigência dos residentes locais era de que o cabeamento fosse todo subterrâneo, sem qualquer fio aparente, o que, inegavelmente agrega charme ao lugar.

A beleza de Jericoacoara encanta a todos, e muito disso se deve às suas praias que sempre figuram nas listas de mais belas do país e do mundo. Duas exuberantes praias rodeiam a Vila de Jeri: a praia principal de Jericoacoara e a Praia Malhada.

A Praia de Jericoacoara é marcada por uma grande extensão de areia, é repleta de barracas, espreguiçadeiras, restaurantes e bares para desfrutar do seu dia, tomar um maravilhoso banho de mar e relaxar ao sol. No fim da tarde, sempre tem uma demonstração diária de roda de capoeira. Já a Praia Malhada é um pouco mais selvagem, costuma ser frequentada por surfistas e é ideal para pegar um bronze sem olhares indiscretos. Como oferece uma gama de atividades para os turistas é impossível se sentir entediado em Jeri, uma vez que oferece diversas atividades que agradam a todos os gostos. Assim, seja você é um esportista, um amante da natureza, um adepto do relaxamento e sossego, ou simplesmente está à procura de momentos românticos, certamente Jericoacoara não te desapontará.

Devido ao seu vento constante praticamente o ano todo, sua costa arenosa e suas águas morninhas, Jeri é o lugar perfeito para a prática de kitesurf e windsurf. Aliás, a praia de Jericoacoara é também perfeita para se iniciar no surf ou no stand up paddle. Para praticar esses esportes há algumas barracas na praia e, igualmente, várias lojas na Vila que contam com profissionais para dar as instruções necessárias e fornecer os equipamentos que o turista precisa. Imperdível para quem curte esportes aquáticos, já que além de Jeri ofecerer as condições perfeitas para a prática dos mesmos, você pode fazer tudo isso admirando paisagens sublimes. Há também a possibilidade de praticar slackline (esporte de equilíbrio praticado sobre uma fita de nylon, estreita e flexível, geralmente a uma altura de 30 cm do chão), excelente opção para quem não quer descuidar da boa forma, aliado à contemplação de um cenário de beleza irretocável.

A famosa Duna do Pôr do Sol ao fundo

Outra opção de atividade em Jeri são os passeios à cavalo que se revelam uma excelente forma de se apreciar toda a beleza do local, pois a imensidão das dunas e de areia forma uma combinação perfeita para sair a galópe para explorar Jericoacoara em toda a sua extensão ou simplesmente para fazer passeios românticos a dois no momento do pôr do sol (Jeri é o cenário ideal para uma lua-de-mel). Como tenho medinho de andar à cavalo acabei não fazendo esse passeio, mas imagino que deve proporcionar ótimos momentos, e custa cerca de R$ 25,00 a 30,00 meia hora de passeio.

E ao falar de pôr do sol, Jeri é motivo de orgulho e referência, isto porque é um dos únicos pontos no Brasil que permite observar o sol se esconder no mar. Assim uma das maiores atrações de Jeri é justamente a famosa Duna do Pôr do Sol, já que é um local privilegiado e ponto perfeito para se vislumbrar o pôr do sol e, indiscutivelmente, é parada obrigatória para aqueles que visitam a Vila. O lugar é bem concorrido, mas tem espaço para todo mundo, e por volta de 17:30 as pessoas já começam a se deslocar para lá e subir a Duna a tempo para escolher o melhor lugar e presenciar esse espetáculo da natureza. Uma curiosidade interessante sobre a Duna do Pôr do Sol e que acabei descobrindo em conversa com os moradores locais é que onde hoje onde está á Duna há muitos anos atrás costumava ser um coqueiral, que foi totalmente soterrado pela movimentação da duna e da areia.

 

Embora eu tenha ficado uma semana por lá, infelizmente não pude ver o pôr do sol todos os dias, seja porque voltei tarde de um dos passeios que fizemos, seja porque o sol estava entre nuvens na maioria dos finais de tarde, isso sem falar nos dias de chuva que vivenciamos. De qualquer forma, fomos agraciados com dois pôr do sol magníficos, momentos que ficarão marcados na minha memória como doces e lindas lembranças de Jeri.

A Pedra Furada é outra atração famosa de Jericoacoara, que em qualquer época do ano é ponto que atrai os turistas para conferir a sua beleza peculiar e o cenário selvagem, belo e rochoso que a circunda. Esse impressionante arco de pedra foi esculpido ao longo do tempo pela ação das ondas e do tempo, e está situada na região rochosa de Jericoacoara (região do Serrote), que se inicia na Praia Malhada e se estende por 2km ao longo do litoral.

Pedra Furada

O caminho até lá é bonito, mas também é meio pedreira, principalmente quando é feito durante a maré alta, o que nos leva a driblar as pedras e elevações ao redor do Morro do Serrote. De qualquer forma ao chegar lá e contemplar aquele cenário de tirar o fôlego não resta qualquer dúvida de que o esforço valeu à pena.

 

Como todo ponto turístico, a Pedra Furada é sempre lotada de turistas, e por isso é meio difícil tirar fotos da pedra sozinha, já que sempre tem inúmeras pessoas querendo fotografar e sair nas fotos de todos os ângulos, o jeito é ter paciência, esperar e ir fazendo os seus cliques, pois o lugar é de uma fotogenia sensacional. A partir da Vila de Jeri, o caminho para a Pedra Furada é um pouco longo, mas também pode ser feito na oportunidade do passeio às Lagoas, como fizemos quando retornamos como parada final do nosso passeio.

Quanto à vida noturna, Jeri também é bem movimentada, pois sempre tem um luau à beira-mar para satisfazer os turistas que procuram uma agitação, isso sem falar nas noites de forró e samba que agitam a Vila, onde se misturam locais e turistas.

O famoso Beco do Forró, onde se concentram os agitos noturnos

 

 
Lagoa do Paraíso
Passeios imperdíveis
A especialidade em Jeri são os passeios por suas lagoas paradisíacas que são geralmente feitos de buggy que, por sua vez, cabem no máximo 04 pessoas. Assim, os dois passeios tradicionais são os passeios às Lagoas (Lagoa do Paraíso/Lagoa Azul – preço médio R$ 250,00 por buggy) e à Tatajuba (preço médio R$ 250,00 por buggy) que, sem dúvida, são passeios imperdíveis para se fazer quando se está em Jeri.
Inclusive, destaco que ao contratar esses passeios, além de ser mais indicado agendar com uma certa antecedência, recomendo que agendem com uma das agências de turismo indicadas no Portal de Jeri, pois embora na Vila sempre tenha inúmero buggeiros oferecendo para fazer esses passeios nem sempre eles são guias habilitados, tampouco credenciados pela Prefeitura. Assim, é mais seguro contratar as agências especializadas indicadas pelo hotel em que você se hospedará ou no Portal de Jeri, como falei acima. No meu caso, juntamente com meus amigos, antes de viajar contactamos várias das agências e segundo as respostas que obtivemos contratamos por email duas delas a FB Turismo (de propriedade do querido Fabrício que foi nosso guia nos passeios às Lagoas e à Tatajuba) e a Experimente Jeri (responsável por realizar o passeio que fizemos ao Delta do Parnaíba). Foi super tranquilo, não tivemos qualquer problema, e normalmente eles pedem o pagamento de metade do valor dos passeios ou uma porcentagem menor do valor total antecipado para que sejam feitas as reservas. Nos dias agendados eles buscam no hotel, nos horários pré-estabelecidos, e sempre são muito pontuais.
Passeio às Lagoas do Paraíso/Lagoa Azul
Árvore da Preguiça
Esse passeio dura cerca de 05/06 horas, com saída por volta de 9h00 do Hotel. O trajeto passa pela Árvore da Preguiça e pela Praia do Preá, que podem ser visitadas tanto na ida, quanto na volta do passeio, de acordo com a preferência do turista. No nosso caso, optamos por parar nesses lugares após a visita às Lagoas. A Árvore da Preguiça é uma árvore que, segundo contou o nosso guia, foi entortada devido à ação do vento forte próximo à praia que impediu que ela crescesse na vertical. Próximo há outras árvores que tiveram destino semelhante, mas a Árvore da Preguiça é maior e reina imponente por ali, sendo local de parada obrigatória para fotos.
Lagoa do Paraíso
Mas, sem dúvida, as grandes atrações desse passeio são as lagoas. Porém, como na época em que fomos (fevereiro de 2015) o período de chuvas estava apenas iniciando as Lagoas não estavam cheias em sua plenitude como costumam ficar após o período chuvoso. Em razão disso, a parada na Lagoa Azul foi apenas para cumprir tabela (e se refugiar de uma chuva forte que nos pegou desprevenidos no nosso retorno), uma vez que ela está praticamente seca, consequência das escassas chuvas dos últimos anos.
Já a Lagoa do Paraíso, um dos símbolos mais famosos de Jericoacoara, embora não estivesse completamente cheia, não nos decepcionou, e pudemos desfrutar de deliciosos banhos em suas águas doces, cristalinas, calmas e mornas e o tradicional momento de relax nas famosas redes instaladas dentro da Lagoa. O lugar é simplesmente lindo e paradisíaco, ao mesmo tempo que traz uma sensação de paz e tranquilidade. Simplesmente imperdível!
Quando a Lagoa está cheia a água chega até os quiosques

Na posto de parada que ficamos abriga um restaurante bem ajeitado, com uma boa estrutura, ótima opção para almoçar ou para simplesmente beber uma água de coco. Entre o restaurante e a Lagoa estão instaladas algumas espreguiçadeiras e e guarda-sóis de palha (para utilizar é pago), e é interessante observar até onde as águas da Lagoa costuma chegar quando está cheia (as suas águas chegam até as mesas dos restaurante no período de cheia). Na volta paramos na Praia do Preá, onde almoçamos em um restaurante beira-mar na Praia do Preá que apresenta algumas opções de restaurante para o almoço. Essa praia não é muito indicada para tomar banho e relaxar (muitas ondas), para quem está procurando isso a melhor opção mesmo é a Praia de Jericoacoara. Como última parada, fomos até à Pedra Furada, um dos cartões-postais de Jeri que não pode deixar de ser visitado como falei acima.

 

Vidão na Lagoa do Paraíso

 

A arte em rocha: pedras petrificadas

Tatajuba

O passeio à Tatajuba também dura aproximadamente 05/06 horas, e a saída do Hotel também é por volta de 9h00 da manhã (pode ser mais cedo também, o que pode ser acertado diretamente com a agência contratada). Esse passeio inclui o passeio ecológico do cavalo marinho (custo de R$ 10,00 por pessoa), a travessia de balsa no Rio Guriú, Trilhas de Mangues, a visita à Velha Tatajuba e à nova Vila de Tatajuba, Duna do Funil, Duna do Coqueiro Solitário, Dunas Fixas, Lagoa e Praia de Tatajuba, onde normalmente ocorre a parada para o almoço.
Rio Guriú

O passeio ecológico do cavalo marinho engloba navegação por um rio de água salgada em busca desses pequeninos animais. É um excelente passeio para se fazer com crianças, pois você pode chegar bem perto dos cavalos (eles são colocados em garrafas com água depois de encontrados e passam de mão em mão para admirá-los), oportunidade em que você conhece mais sobre como eles vivem, o que proporciona uma maior consciência ambiental acerca da sua preservação e do respeito a seu habitat. Como já havia feito esse passeio na oportunidade em que estive em Pernambuco (como falaei aqui: http://melevenamala.com.br/2015/03/01/maragogi-o-caribe-brasileiro-e-seus/.html), confesso que achei um pouco sem graça, razão pela qual não acho que valha muito à pena.  Mas, como já estava lá acabei fazendo e foi um passeio bom, porém sem aquela sensação de novidade, principalmente porque estava ansiosa pelo restante do passeio que ainda estava por vir.

 

Na trilha dos Mangues

Após a travessia da balsa no Rio Guriú (o valor da travessia já está incluída no total do passeio), passamos pela Trilha dos Mangues e paramos um pouco por ali para tirar fotos, conhecer um pouco sobre a história do lugar e admirar as lindas paisagens que nos cercavam. Ali há várias redes sob sombra e balanços para se divertir e voltar a ser criança. É uma das partes mais bonitas do passeio, onde podemos observar o mangue fechado (que tem sido desmatado pelos próprios moradores da região) e o ponto onde o rio desemboca e se encontra com o mar.

 

Sendo feliz nos balanços disponíveis na Trilha dos Mangues

 

Detalhe de uma casa soterrada na Velha Tatajuba

Depois dessa parada, seguimos o passeio para Tatajuba, onde é possível conhecer o local onde estava localizada a Velha Tatajuba, Vila que foi totalmente soterrada pelas dunas. Em alguns pontos é possível vislumbrar partes dos telhados de casas que apontam na areia. Próximo a esse local, há um pequeno comércio onde normalmente fica uma senhora na janela chamada Dona Delmira, antiga moradora da Velha Tatajuba, que conta em detalhes de como a Vila de Tatajuba mudou-se de lugar por causa das dunas e do soterramento das casas. Parar por ali para ouvir a estória dessa moradora local é opcional, mas não deixa de ser interessante. Os moradores da Velha Tatajuba se juntaram e se mobilizaram para construir a Nova Tatajuba, que se situa li pertinho.

As Dunas Fixas

Um dos pontos de destaque desse passeio é a passagem pela Duna do Funil, que é imensa e dá arrepios só de pensar em descê-la utilizando prancha para fazer o famoso skibunda. Como lá no topo venta muito (quase uma tempestade de areia que chega a doer ao bater no corpo) é bem difícil conseguir tirar fotos ali. Aliado à ventania, mais a altura da duna decidimos não nos arriscar a descê-la. As Dunas Fixas também são bem impressionantes, pois mesmo com os ventos constantes da região elas não se mexem mais e não perdem o seu formato, já que estão completamente petrificadas, sendo que em alguns pontos é interessante notar as pedrinhas espalhadas pelos local, no chão, que nada mais são do que arte em forma rochosa.

Depois de tanta informação e adrenalina durante esse dia de passeio intenso, nada melhor do que parar para relaxar e tomar gostosos banhos na Praia de Tatajuba e, depois, na Lagoa de Tatajuba, sendo que em ambas tem as famosas redes na areia que com a subida da maré ficam em dentro da água. Simplesmente, uma delícia! Nos dois pontos tem restaurantes que podem servir de parada para o almoço. A Lagoa de Tatajuba é local perfeito para praticar stand up paddle e navegar de caiaque, passeios que são cobrados por meia hora e custam cerca de R$25,00 a R$ 30,00. Após esse momento delicioso de curtição na Lagoa, o passeio chega ao fim (infelizmente!) e depois o guia leva os turistas para o Hotel com a melhor das sensações, depois de um dia maravilhoso de passeio.

 

Prática de esportes aquáticos na Lagoa de Tatajuba

Ainda, é possível fazer o passeio pelos Lençóis Maranhenses, que dura no mínimo 03 dias, e o passeio até o Delta do Parnaíba, que é possível fazer em apenas um dia de bate-volta de Jeri. Infelizmente, não foi possível fazer o passeio até os Lençóis Maranhenses, pois como esse passeio, devido à distância de Jeri, exige que gastemos no mínimo 03 dias para ir, aproveitar o lugar e voltar, e já havíamos pago toda a hospedagem em Jericocoara, não achamos interessante sair de lá e nos ausentar esse tempo todo, uma vez que teríamos que pagar outra hospedagem durante o passeio dos Lençóis. Além disso, a época também não estava propícia devido ao período chuvoso, mas com certeza é um passeio que ainda planejo fazer quando for à São Luís, no Maranhão (melhor lugar para sair e fazer esse passeio). Quanto ao passeio do Delta do Parnaíba, que também é imperdível, falarei dele em um post dedicado apenas a esse passeio.

 

Dicas úteis de Jeri

  • Um dos encantos de Jeri é justamente o fato de que durante a sua estadia lá você terá os pés na areia, literalmente, o tempo todo. Assim, não invente de levar sapatos de salto alto ou cheios de “chiqueza”, pois Jeri não é local para isso. Leve na bagagem apenas chinelos, roupas leves, bonés/chapéus e muito protetor solar. Se achar necessário leve tênis, que é bastante útil para andar à cavalo, por exemplo.
  • Em Jeri não há caixas eletrônicos. Dessa forma, é imprescindível levar uma boa quantia em espécie para pagar os passeios e também pagar alimentação em lugares que não aceitam cartões de crédito. Boa parte das lojas e restaurantes na Vila aceitam tanto cartões de débito, quanto de crédito, porém sempre há alguns lugares que só aceitam dinheiro mesmo.
  • A melhor época para ir em Jeri, indiscutivelmente, é de Agosto a Dezembro, uma vez que é durante o inverno (Janeiro a Julho) que ocorre o período chuvoso (quando chegamos em 14 de fevereiro não havia chovido em 2015 em Jeri ainda, dois dias depois iniciaram-se as chuvas que acabaram frustando a viagem em alguns dias), época que enche as famosas Lagoas da região.
  • Como Jeri é distante aproximadamente 300 km e a viagem dura mais ou menos 4 horas meias, como disse no início do post, não recomendo o passeio de um dia em Jeri, como bate-volta de Fortaleza, tendo em vista as várias atrações e passeios da região, e o fato de que a viagem é bem exaustiva. Em virtude disso, sugiro que a estadia em Jeri seja no mínimo de 04 dias para ter a oportunidade de aproveitar ao máximo tudo que esse paraíso pode oferecer.
  • Quando fui tive a ilusão que partindo de Jeri daria tranquilamente para fazer um passeio de pelo menos um dia em Canoa Quebrada. Bom, não que seja impossível, mas de Jeri até Canoa a viagem dura cerca de 06 horas, já que passa por Fortaleza até chegar lá, o que não compensaria de jeito nenhum, uma vez que não daria para aproveitar Canoa Quebrada e a viagem seria extremamente cansativa. Então, para quem quer ir em Jericoacoara e também em Canoa Quebrada, para que seja uma viagem proveitosa, sugiro passar alguns dias em Fortaleza e fazer o passeio até Canoa e, em seguida, seguir para Jeri e se hospedar por pelo menos 04 dias por lá.

 

Modelando com a Pedra Furada de cenário

Sem dúvida, esse paraíso chamado Jericoacoara deixou maravilhosas lembranças, de um local que, aliado à sua beleza cênica e preservação ambiental, prima pela qualidade, conforto e a possibilidade de vivenciar experiências incríveis. Nos próximos posts sobre Jeri, falarei sobre o passeio ao Delta do Parnaíba, sobre as sugestões de restaurantes e hotéis da Vila. Não deixem de acompanhar!

Você também pode gostar

5 Comentários

  • Reply VIVIANE 13 de maio de 2016 at 15:27

    Adorei o post!!! Super rico em detalhes e com ótimas dicas. Vou aproveitar todas as dicas na minha ida a Jeri em Junho… Fiquei ainda mais ansiosa depois de ver as lindas fotos. Parabéns pelo blog que é lindíssimo e muito bom!!!

    • Reply Aliny Matos 15 de maio de 2016 at 22:19

      Que linda Vivi! Muito obrigada pela visita e fico muito feliz que você gostou do blog e do post! Eu fiquei completamente apaixonada por Jeri e tenho certeza que você vai amar! Muito contente de saber que você vai utilizar as dicas! Qualquer dúvida estou à disposição!;*

  • Reply Sthe 28 de dezembro de 2015 at 13:32

    Querida, vim retribuir sua visita e fiquei um tempão no seu blog visitando seus posts!
    Parabéns, você escreve muito bem e tira linda fotos!
    Estou louca para conhecer Jeri, guardei suas dicas!

    Sucesso! :*

    • Reply Aliny Matos 29 de dezembro de 2015 at 02:01

      Sthe muito obrigada pela visita! Muito lisonjeada com seus elogios! Que bom que vc gostou das dicas, Jeri é tão maravilhosa, imagino que você vá curtir demais! O meu blog anda meio desatualizado por falta de tempo, mas vou aproveitar os meus dias de folga já que não vou viajar para colocar a casa em ordem, estou devendo muito material para postar aqui e pretendo postar com mais frequência.
      Muito sucesso para vc tb;*

  • Reply Eliane Matos De Oliveira 6 de abril de 2015 at 17:28

    Lugar lindo, fiquei atiçada,quero conhecer essa maravilha!

  • Deixe uma Resposta

    @MELEVENAMALA – INSTAGRAM

    • Crocia Dubrovnik Dubrovnik vista do alto no pr do solhellip
    • Crocia Hvar  Fort Spanjola E a Crocia segue sehellip
    • Crocia Hvar Hvar a pronncia  rurr com certeza noshellip
    • Crocia Plitvice Lakes O belssimo Parque Nacional dos Lagos Plivticehellip
    • Turquia Gumbet  Pennsula de Bodrum Tem coisa melhor quehellip
    • Mato Grosso Pantanal  Sesc Baa das Pedras E ahellip
    • Mato Grosso Pantanal Sesc Pantanal To lindo quanto ver ohellip
    • Mato Grosso Pantanal Hotel Sesc Porto Cercado Passando para florirhellip
    • Mato Grosso Pantanal  Hotel Sesc Porto Cercado Tudo ohellip
    • Turquia Blue Lagoon Oludeniz Nesse finzinho de domingo nada melhorhellip
    Por favor, aguarde...

    Assine a nossa newsletter

    Quer ser notificado quando o nosso artigo é publicado? Digite seu endereço de e-mail e nome abaixo para ser o primeiro a saber.