América Central, Cuba, Viagens Internacionais

Cuba: muito melhor que as expectativas!

27 de julho de 2016
Cuba - Havana

Quando tomei a decisão de curtir os dias de férias que ainda me restavam em uma viagem com uma amiga para Cuba, imaginava que vivenciaria uma experiência muito diferente das viagens que já tive a oportunidade de fazer, pois a ideia que tinha era a de que a ilha se revelaria um lugar único, afinal se trata de um país que sofreu uma mudança radical que abalou as suas estruturas em decorrência da famosa Revolução Cubana, ocorrida em 1959, e, consequentemente, viveu muitas mudanças políticas, sociais e econômicas nos anos subsequentes.

E, atualmente, após mais de 50 anos desde a icônica revolução e durante a extensão do duro embargo econômico imposto pelo governo americano, a ilha governada pelos irmãos Castro, mais uma vez, se encontra às portas de viver uma profunda transformação, devido ao recente restabelecimento de relações diplomáticas com os Estados Unidos. Tal contexto, indiscutivelmente, torna Cuba um país que desperta a curiosidade de muita gente.

As minhas expectativas eram muitas, e as mais variadas possíveis. E que coisa boa poder dizer que Cuba com todas as suas peculiaridades marcantes superou as minhas expectativas (de forma positiva, vale dizer) e me proporcionou uma experiência muita enriquecedora, inigualável e inesquecível. Inclusive, acho muito importante pontuar que uma viagem à Cuba é uma excelente oportunidade para se aprofundar mais na história do país, sair do raso e desconstruir paradigmas e preconceitos.

Museu da Revolução - Havana

Infelizmente, ainda existem muitos equívocos sobre o país, como, por exemplo, a ideia de que o povo cubano não tem permissão para sair de Cuba, fato que não é a mais pura verdade. Pelo que pude entender, hoje em dia, essa é uma questão que esbarra na condição financeira: embora os cubanos possam sim viajar para fora do país (possibilidade existente desde 2013 para ser mais precisa, quando a lei migratória foi reformada e as viagens ao exterior passaram a ser permitidas sem a necessidade de autorização do governo), poucos de fato conseguem fazer isso, isto porque os valores para tirar o passaporte e das passagens aéreas são extremamente caros, o que, sem dúvida, dificulta a viagem dos cubanos para outros países e torna uma viagem ao exterior um sonho quase inalcançável para muitos em Cuba.


UM POUQUINHO SOBRE A HISTÓRICA REVOLUÇÃO CUBANA DE 1959: Para quem não se lembra com detalhes das aulas de história da escola, registro que a Revolução Cubana de 1959 foi um movimento liderado por Ernesto Che Guevara, Fidel Castro e Camilo Cinfuegos, responsável por derrubar o governo ditatorial de Fulgêncio Batista, o que culminou com a implantação do regime socialista em Cuba, o que na época acabou por vincular Cuba econômica e politicamente à extinta União Soviética. Após a revolução e o estabelecimento do regime socialista, os Estados Unidos, em 1961, romperam relações diplomáticas com Cuba e no ano de 1962 impuseram um longo embargo econômico à ilha que dura até hoje, o que impede relações comerciais entre os 2 países. Embora os Estados Unidos tenham restabelecido as relações diplomáticas com Cuba em 2015, o embargo econômico ainda vigora e depende de aprovação do Congresso americano para chegar ao fim.


Não vou negar que o contexto histórico, econômico e social em Cuba é demasiado complexo, uma vez que ao mesmo tempo em que você se depara com um cenário em que o médico, um dos profissionais mais bem pagos no país, ganha cerca de 60 CUC’s por mês (algo em torno de 60 doláres), o que contribui para que muitos cubanos graduados trabalhem como taxistas, guias turísticos ou outras profissões ligadas ao turismo e alimentação, para complementar a renda, você se alegra em saber que a educação no país é de altíssima qualidade e atualmente praticamente 99% da população cubana é alfabetizada. A saúde e a segurança também são motivos de orgulho nacional.

Com a média de salário dos cubanos, e considerando que a alimentação é garantida pelo governo, não se passa fome, contudo, há restrições econômicas.Ah, e não posso deixar de dizer que praticamente todas as famílias cubanas vivem em casas próprias, em muitos casos herdadas de tempos anteriores à revolução ou oriundas de doação do governo.

Nesse ponto, quero fazer um adendo e dizer que não faço aqui uma defesa do sistema vigente em Cuba, tampouco pretendo entrar na dualidade superficial da discussão de que a Revolução Cubana foi boa x ruim para o país e o regime de governo é bom x ruim ou  certo x errado, pois com o meu relato compartilho vocês apenas e tão somente o que pude observar da realidade da ilha que, inegavelmente, desperta muita curiosidade e ainda tem uma aura de mistério para muitas pessoas e viajantes.

Havana 2

E é justamente a partir do momento que você abre a sua mente e se permite conhecer a realidade do país sem pré-julgamentos, sem preconceitos, sem querer apontar se o regime de governo é bom ou ruim, é que você consegue desmistificar um pouco Cuba e aproveitar para vivenciar uma viagem incrível.

Admito que viajar pelo país de forma independente não é fácil, como normalmente é para viajar por qualquer país da Europa, por exemplo. Até mesmo porque, devido ao regime de governo cubano, você se depara com muitas situações incomuns com as quais muitos viajantes não estão acostumados, como o fato de ter que aprender a lidar com duas moedas correntes que circulam pelo país – CUP’s utilizadas apenas para os cubanos e os CUC’s destinados para o uso dos turistas –  (esse assunto ainda abordarei com mais detalhes em uma outa postagem), ou ter que lidar com a dificuldade para se conectar na internet. Mas, quem disse que viajar pela África em destinos como o Marrocos também é molezinha? Assim, como imagino o quão complicado deve ser viajar de forma independente pela fechada Coreia do Norte ou China.

Além disso, Cuba não é um destino que você compreende logo de cara (mente aberta é o mandamento, gente!) e muitas vezes você não absorve tudo de forma instantânea, rola uma ambiguidade de sentimentos e é, nesse momento, que é preciso ter sensibilidade para tentar entender, sem fazer juízo de valor, o mundo de contrastes que se apresenta e jogo de cintura, além de muita paciência, quando se depara com imprevistos ou situações desconfortáveis e inusitadas.

Cinfuegos - Cuba

Inclusive, planejar a viagem para Cuba de forma independente, por si só, já é uma tarefa desafiadora, uma vez que as informações ainda são escassas. Isso sem falar que as poucas informações que normalmente encontramos são datadas e muitas das vezes já não servem, tendo em vista as constantes e rápidas mudanças pelas quais o país tem atravessado. Porém, apesar da canseira que deu pesquisar sobre tudo que precisávamos fazer antes de viajar para lá (Lud, amiga, te dedico muito!), fizemos todo o planejamento no modo independente depois de muita pesquisa, o que leva mais tempo, reconheço, contudo sai muito mais barato do que viajar através de um pacote de agência turística e como já estou acostumada a viajar dessa maneira não pensei nem por um segundo em terceirizar o planejamento e a organização da viagem (em breve vou escrever um post aqui no blog sobre o assunto).

Paseo Del Prado - Havana

Assim, viajar para Cuba é saber que o planejamento, em alguns momentos, vai dar lugar a imprevistos, o que não é algo ruim, pois muitas vezes coisas boas e surpreendentes podem surgir justamente de situações inesperadas e adaptações de roteiros. Felizmente, durante os 18 dias que viajei por Cuba, não tive do que reclamar nesse quesito, já que tudo correu bem e foram pouquíssimas as vezes em que tivemos que lidar com alguma situação capaz de embaçar o nosso planejamento (como os horários de voos de ida e volta para Cayo Largo, cujos horários sempre eram definidos um dia antes de embarcar, o que nos obrigou a sempre ter um plano B para tentar aproveitar ao máximo os lugares, mais isso também é papo para um outro post;).

Importante dizer também que quem viaja para Cuba pela primeira vez deve entender que, embora o turismo tenha crescido consideravelmente nos últimos anos, os serviços em atividades que envolvem o recebimento de turistas ainda carecem de amadurecimento, porém é notório o esforço e a dedicação dos cubanos para receber bem os seus visitantes originados de várias partes do mundo, com destaque para os europeus e canadenses que há anos já viajam com certa frequência para a ilha ( e são apaixonados por Cuba!).

Como resultado, na grande maioria dos lugares você se depara com um atendimento eficiente, por vezes excelente, e em outros lugares uma recepção com algumas falhas (um exemplo foi em um restaurante estatal que estivemos e o atendimento deixou muito a desejar), mas faço a ressalva que situações como essa foram exceção (pelo menos durante a minha estadia por lá) e não é nada que tenha a capacidade de comprometer a qualidade da viagem. E sinceramente? Tal realidade não é exclusiva de Cuba, já que durante as viagens que já fiz mundo afora sempre encontrei os dois lados da moeda.

Havana 1

Sobre o assunto comida, confesso que antes de viajar para lá era uma das coisas que mais me deixava receosa, tendo em vista os muitos relatos que li pela internet no sentido de que a comida em Cuba era horrível e que poderia redundar em muita dificuldade para os viajantes, o que seria consequência da falta de ingredientes ou até mesmo a dificuldade em obtê-los. Diante disso, vai eu encher minha mala de bolachas e snacks variados com medo de não conseguir me adaptar à comida, já que viajar para Cuba significa não poder contar com alternativas como redes de fast food, nem com padarias em cada esquina, tampouco com aqueles mini mercados que tem em todo lugar e que você encontra de tudo para matar a fome e sempre salvam em uma viagem.

E imaginem a minha agradável surpresa quando em Cuba tive a oportunidade de desfrutar de refeições deliciosas e saborosas, seja nas casas de cubanos em que me hospedei (começando pelos completíssimos cafés da manhã) ou nos resorts das praias que visitei, seja nos restaurantes que descobri a partir de dicas de variados sites, seja a partir de indicações de locais e de outros viajantes que conhecemos pelo caminho durante a viagem, ou ainda  por conta própria pela simples curiosidade de entrar no estabelecimento e experimentar.

Ta aí mais uma expectativa superada, e da melhor forma possível. Portanto, se você vai viajar para Cuba te digo, tranquilamente, que quanto à alimentação não há porque temer, porque lá também você tem a possibilidade de comer bem, e o que é melhor, barato.

Uma das deliciosas comidas que experimentei em Cuba: Ropa Vieja, prato típico local

Uma das deliciosas comidas que experimentei em Cuba: Ropa Vieja, prato típico local

Viajar para Cuba também significa estar aberto para ter um contato mais direto com o povo cubano e, acreditem, eles gostam e anseiam por isso. Arrisco dizer que um dos maiores trunfos do país é o seu povo que é muito alegre e normalmente muito acolhedor, simpático e extremamente acessível, características que muito se assemelham a nós brasileiros. Na maioria das vezes a aproximação com os turistas acontece por iniciativa dos próprios cubanos, que não raro nos pararam nas ruas para perguntar a nossa origem e iniciar um papo sobre os mais variados assuntos. E quando a gente dizia que éramos brasileiras, aí sim a conversa ia longe, pois os cubanos simplesmente amam as novelas brasileiras e são fãs de carteirinha dos atores globais (os mais citados: Cauã Reymond, Thiago Lacerda e Camila Pitanga). Na época da minha passagem por Cuba (março/2016), fazia pouco tempo que a novela Duas Caras havia acabado e estava sendo transmitida a novela Avenida Brasil.

E é justamente durante esses papos descontraídos que você sente se pode avançar um pouco mais e conversas sobre temas mais espinhosos, como política e a revolução (que diga-se de passagem está muito presente nas ruas, fachadas, prédios, com alusões à ela e a seus líderes), para tentar saber um pouco como funciona a mentalidade cubana sobre esses assuntos. Confesso que eu e minha amiga viajamos com muita sede para beber no conhecimento cubano sobre essas temáticas e na grande maioria das vezes, tanto com os mais velhos, quanto com os jovens, encontramos espaço para discutir, obter mais informações, e foram poucas as vezes em que não conseguimos quebrar barreiras (como a frustração que tivemos com uma das cubanas que nos hospedou em Havana e que imaginávamos que pelo fato de ser uma senhora idosa e socióloga responderia todas as nossas perguntas sobre Cuba, mas que no fim não deu nenhum espaço para isso, ao contrário dos demais cubanos com os quais conversamos).

Santa Clara - Cuba

Outra coisa muito bacana e bem característica do povo cubano é a arte da improvisação que está intrínseca neles, fato que é bem visível, em especial, pela capacidade de todos eles terem obtido na prática o conhecimento necessário sobre mecânica para manter os clássicos carros dos anos 50 em pleno funcionamento e muito bem conservados, sendo que a grande parte desses carros são utilizados para serviço de táxi, o que possibilita a qualquer um passear a bordo de um deles.

Viajar para Cuba significa também, entre outras coisas, ter a sensação de que voltou no tempo ao se deparar com os famosos carros clássicos circulando em cada esquina em perfeita combinação com o museu a céu aberto que você encontra nas ruas de qualquer cidade de Cuba, ao mesmo tempo em que a modernidade, representada pelos aparelhos celulares e os poucos, mas já existentes, pontos de wifi, começa a ganhar espaço.

Havana

Sobre a internet no país, confesso que esse também foi um aspecto que me surpreendeu positivamente, visto que antes de viajar para lá pensava que seria muito, mas muito difícil acessar whatsapp, instagram, email, por lá. E não é que eu estava enganada? Confesso que a internet ainda não é de fácil acesso em Cuba, mas para quem está disposto a pagar (caro) por isso consegue navegar numa boa. Mas, quer saber? Se desconectar por alguns dias do mundo exterior faz um bem danado e em uma viagem por Cuba faz uma diferença tremenda, pois só assim para você “viver a viagem” pela ilha como o lugar pede. Portanto, quando em Cuba aproveite a oportunidade de fazer um detox de internet, você verá como isso agregará muito mais valor à sua viagem (para os que não conseguem se desconectar de jeito nenhum, já deixo avisado que também farei um post sobre isso aqui no blog).

Bom, e se não bastasse a história, a beleza e a fotogenia da capital Havana e de cidades como Trinidad, em Cuba você ainda tem a possibilidade de curtir praias paradisíacas ao longo do deslumbrante caribe cubano (se deliciando com um belo de um Mojito, diga-se de passagem!), já que opções não faltam entre os vários Cayos (o difícil é escolher!) e o já conhecido e muito turístico balneário de Varadero. Isso sem falar nas paisagens lindas de lugares como El Nicho, Viñar Del Rio e o Vale dos Engenhos.

Cayo Largo - Praia Sirena

A verdade é que, com o boom turístico que Cuba tem sofrido de 2 anos para cá (em conversa com uma das nossas anfitriãs em Havana, descobrimos que até março de 2016 Cuba já havia recebido a marca de 1 milhão de turistas), a hora para visitar o país é agora, se você esperar muito para conhecer a ilha poderá estar fazendo a si mesmo uma grande injustiça, pois quanto mais o tempo passa, mais diminuem as chances de conhecer uma Cuba mais original e tradicional.

Nos últimos anos, muita coisa já mudou (quem visitou Cuba há 05 anos atrás e teve a chance de visitar de novo recentemente pode chegar a essa conclusão fácil, fácil…), reflexo de um novo modelo de economia que vem se desenvolvendo no país que tem tirado espaço aos poucos do socialismo existente e, via de consequência, de forma gradativa tem tornado menos nítidas algumas das tradições locais e tem resultado na incorporação do padrão de vida global à realidade cubana. E por isso, recomendo uma viagem à Cuba o mais rápido possível!

Praça da Revolução - Havana

Em se tratando de Cuba o melhor conselho (além da mente aberta) que posso dar para quem pretende viajar por esse país singular é deixar para trás as comparações com qualquer outro destino e aceitar a realidade e modo de vida local, deixar se levar pelas delícias do cotidiano que você vai encontrar por lá, e isso inclui ter contato direto com o povo cubano, conversar, andar pelas ruas e não restringir a sua viagem ao bate-volta de hotéis para os passeios nos famosos pontos turísticos ou somente para praias turísticas como Varadero.

Desse modo, garanto que se você estiver realmente aberto para vivenciar tudo que a autêntica Cuba tem a oferecer, você viverá não apenas uma viagem, mas uma verdadeira experiência sem igual e inesquecível, pois se trata de um lugar único no mundo. De resto, deixo para você constatar com os próprios olhos e tirar as suas próprias impressões em uma visita à essa ilha caribenha linda que conquistou meu coração e me deu muitos motivos para retornar em um futuro breve…quem sabe?

Nos próximos posts aguardem muito mais de Cuba…está só começando!

Gostou do post? Deixe o seu comentário! E se você tiver algo mais para compartilhar e contribuir com o post não hesite em comentar também! Vou gostar muito!

Até breve 😉

Você também pode gostar

8 Comentários

  • Reply Larissa 22 de maio de 2017 at 14:18

    Amei o Post… Embarco nesta aventura Dia 04/06 e estou ansiosa para vivenciar toda esta experiência de Cuba 🇨🇺

    • Reply Aliny Matos 23 de maio de 2017 at 03:27

      Hey Larissa! Tudo bem? Ainn obrigadaa! É sempre muito bom ouvir isso e saber que ajudo de alguma forma. Se precisar de mais alguma dica (não soltei todos os posts ainda) pode me chamar à vontade! E já tô curiosa pelo seu roteiro! Grande beijo! Arrasaa na viagem!

  • Reply Ana Paula 29 de dezembro de 2016 at 19:14

    Adorei o texto! Vou a Cuba em fevereiro de 2017! E penso igual a você, a hora de ir é agora! Acredito que muita coisa vá mudar…

    • Reply Aliny Matos 31 de dezembro de 2016 at 18:36

      Oi Ana Paula, tudo bem? Fico super contente de saber que você gostou do post! Que maravilha! Então você vai em fevereiro? Que arraso! Cuba á fantástica! Você vai amar! Já tá com o roteiro todo ajeitado? Qualquer dúvida estou à disposição;). Muito obrigada pela visita. Bjos

  • Reply Marina Heimer 28 de julho de 2016 at 00:57

    Texto excelente! Deu pra sentir a atmosfera de Cuba enquanto lia… E só me fez ficar mais interessada pelo destino e mais curiosa pelos próximos posts sobre a viagem!
    Adorei!!

  • Reply Alessandra 28 de julho de 2016 at 00:45

    Linda parabéns pelo post!!
    Um verdadeiro guia!! Super completo!! Amei!!
    Deu até vontade de conhecer Cuba!

  • Reply BRUNO SGROMO VEIGA 27 de julho de 2016 at 13:50

    Friendddd, adorei o relato sobre Cuba e só tenho uma reclamação a fazer, PORQUE NÃO FUI COM VC kkkk. Infelizmente não foi desta vez que tivemos a oportunidade de viajarmos juntos, vc em Cuba e eu na Colômbia, mas oportunidades não faltarão.
    Confesso que Cuba não estava em meus planos, isso mesmo, ESTAVA, porque depois desta experiência incrível que vc passou, fiquei com “inveja” e também quero conhecer.
    Parabens pelo blog e saiba que torço mto por vc, tenho um carinho especial por uma pessoa mais q especial.
    Sucesso sempre friend.

  • Reply Bianca Medina 27 de julho de 2016 at 12:31

    Adorei!!!! Post super completo! Realmente preciso ir logo…😊😊

  • Deixe uma Resposta

    @MELEVENAMALA – INSTAGRAM

    • Crocia Dubrovnik Dubrovnik vista do alto no pr do solhellip
    • Crocia Hvar  Fort Spanjola E a Crocia segue sehellip
    • Crocia Hvar Hvar a pronncia  rurr com certeza noshellip
    • Crocia Plitvice Lakes O belssimo Parque Nacional dos Lagos Plivticehellip
    • Turquia Gumbet  Pennsula de Bodrum Tem coisa melhor quehellip
    • Mato Grosso Pantanal  Sesc Baa das Pedras E ahellip
    • Mato Grosso Pantanal Sesc Pantanal To lindo quanto ver ohellip
    • Mato Grosso Pantanal Hotel Sesc Porto Cercado Passando para florirhellip
    • Mato Grosso Pantanal  Hotel Sesc Porto Cercado Tudo ohellip
    • Turquia Blue Lagoon Oludeniz Nesse finzinho de domingo nada melhorhellip
    Por favor, aguarde...

    Assine a nossa newsletter

    Quer ser notificado quando o nosso artigo é publicado? Digite seu endereço de e-mail e nome abaixo para ser o primeiro a saber.